Histórico

A Câmara de Vereadores:

A primeira Legislatura foi composta pelos vereadores Celita Blos Ceoli, Alencar Borowski e Olavo Kremer (ambos do PPB); Manoelzinho, Zeni e Francisco (ambos do PMDB); Zeca, Paulo Schneider e João Batista Florêncio (ambos do PDT).

No inicio, com a recém emancipação do município e sua criação, a parte administrativa da Câmara ficava na Avenida Dona Vanda, prédio a onde se localiza a Emater. Com pouco espaço, as Sessões eram realizadas no Salão Comunitário da Igreja Católica.

Já em 2004, a Câmara inaugurou sua sede própria, localizada no atual endereço.

A vereadora Celita Blos Ceolin, foi a primeira presidente do Legislativo, exercendo a função no ano de 2001.


O Município:

A Criação do Município de Jacuizinho deu-se em 16 de abril de 1996, pela Lei Estadual nº 10.757, instalado em 01 de janeiro de 2001.
A origem do nome Jacuizinho homenageia o rio que atravessa a cidade, por ser uma das belezas naturais da região e também o principal afluente do Rio Jacuí, um dos maiores do estado.
Outra versão aponta o nome como origem indígena, que significa o hibridismo de “Jacú” = ave galinácea + “Y” = rio com o sufixo luso acrescido ao nome guarani.
Jacuizinho, uma história que começou em 1877.
O início da colonização deu-se no ano de 1877, quando fixaram residências as famílias descendentes de açorianos, alemães, espanhóis, italianos e negros, provenientes de localidades vizinhas, como Santa Cruz do Sul, Cruz Alta, Soledade, Cachoeira do Sul e outras.
Os alemães foram os pioneiros na colonização do povoado, todos os colonizadores vieram buscar um espaço, criando gado e plantando arroz para subsistência das famílias. Muitos chegaram com “ofícios” definidos e abriram pequenas fábricas, oficina, ferrarias e olarias. As casas construídas com arquitetura germânicas caracterizavam bem o estilo europeu. Em 1890 surgiram às primeiras casas comerciais, como a fábrica de gasosa de Fritz Textor, a água usada era de uma fonte de água natural existente atrás de sua casa. Existente até hoje, dono também de uma pousada ao lado da fábrica de gasosa.
A primeira “Casa Comercial”, conforme relato era de Catulina Kertch onde se vendia de tudo desde alimentos até tecidos. Por volta de 1894 a “Casa Comercial” de Jacó Kuhn, onde também tinha uma ferraria.
A data de 13 de Janeiro de 1891 registra a criação e instalação do Cartório e Tabelionato Distrital de Jacuizinho.
A partir dessas datas surgiram e marcaram a localidade, sendo o comércio um dos mais movimentados da época, tendo a “Casa Pinto” de Joaquim Pinto, “Casa e Sapataria” de Afonso Moser, “Farmácia de Pedro Lenemann e “Farmácia do Solar”, Hotel de Dona Érica Hibner, e um pequeno hospital, para estes fins, chegaram pessoas vindas de Soledade, Julio de Castilhos e de outras localidades, tendo como transporte o lombo de mulas e carretas puxadas a bois, cobertas com capim Santa Fé.


Page Reader Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support